SCARPARO, GIOVANNI

(San Toná Di Piave-Itália, 18/5/1926 +Jundiaí, 23/10/1995) – Pintor. Assinava Gianni Scarparo. Veio para o Brasil em 1950 e em 1954 radicou-se em Jundiaí, onde deu continuidade à atividade artística, iniciada aos 18 anos, em plena Guerra Mundial. A primeira mostra de sua obra foi composta por nus femininos, pintados nas paredes do quartel em que ficou alojado antes de ser mandado para o front, quando foi convocado para incorporar as tropas alemãs que combatiam na frente russa. Nesse ano de 1944, Gianni conheceu as agruras do conflito, inclusive passando longo período em poder dos russos. Sua primeira exposição em Jundiaí foi realizada nas antigas dependências da Biblioteca Pública Municipal (Rua Rangel Pestana, 372), em 1981, numa promoção do Jornal Cultural, que então conpletava dois anos de existência. As telas apresentadas nessa mostra retratavam cenas da província de Veneza, envolvendo seus habitantes e casarios, além de flores, animais e rostos de pessoas. A principal característica dos trabalhos apresentados eram as cores neutras e suaves, nos tons amarelo, marrom e terra. Em setembro de 1982, expôs no Club Atlético Paulistano, da capital. Nessa oportunidade, seu conterrâneo Inos Corradin lhe fez a seguinte apresentação: “Conheci Gianni Scarparo na década de 50, quando ele chegava ao Brasil, vindo da Itália, da região vêneta que é também a minha região. Ele já tinha um currículo artístico, com participações em algumas exposições coletivas em diversas cidades italianas, e eu chegava de Salvador, onde tinha realizado, euforicamente, minha primeira exposição individual. Tivemos, portanto, um contato e um relacionamento com estímulos à pintura com muita frequência. Ele tinha trazido algumas pequenas paisagens da campanha vêneta com todo sabor de uma técnica ‘ottocentesca’ bem elaborada e com cores sóbrias e harmoniosas. Depois, durante muitos anos não o vi mais. Percorremos caminhos diversos e nos cruzamos em ocasião de sua exposição promovida pelo Jornal Cultural de Jundiaí. Quando se deixa a terra natal, deixam-se coisas, pessoas, paisagens, o trigo e as papoulas de Vêneto, mas leva-se consigo as imagens e todos os sentimentos, no espaço reservado à nostalgia. Gianni, nos seus quadros recentes, reflete o eco nostálgico de um tempo e de uma memória, com uma técnica e uma matéria pictórica refinada e segura, com cores de baixas tonalidades, perfeitamente harmoniosas com a temática que se propõe: – uma temática quase metafísica, composta de arcos, em luzes oníricas, de antigos mosteiros interpretados em fase de uma impossível volta ao passado. Gianni é um pintor que deve ser visto com seriedade, porque pinta com seriedade. Creio que as paredes do Club Atlético Paulistano mostrarão isto.”

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 24 de junho de ...
1905 Nascia em Jundiaí o ator Pompeu Perdiz.
1912 Nascia em Itatiba Luiz Latorre, empresário e ex-prefeito de Jundiaí.
1946 Entrava no ar a Rádio Difusora Jundiaiense.
1971 Nascia em Jundiaí a artista plástica Leila Alves Lopes.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO