CUNHA, MARCO ANTONIO DE ALMEIDA

(Jundiaí, 18/1/1960) – Professor, músico e maestro. Marco Antonio fez seus primeiros estudos de flauta doce com a professora Jenny Sampataro, em Jundiaí, e os de flauta transversal com o professor Lafayete Fausto, em São Paulo. Depois de licenciar-se em Música e Regência pela Faculdade Paulista de Arte, prosseguiu os seus estudos musicais nas Faculdades Metropolitanas Unidas, em São Paulo. Começou sua atividade profissional na música nos anos 80, ministrando aulas de flauta transversal e flauta doce na Casa da Cultura de Jundiaí. Também nessa década, começou a dedicar-se à música coral, regendo, a partir de 1986, o Coral Canto Vivo, que permaneceu sob sua direção até transformar-se na atual Companhia de Artes e Cultura Canto Vivo. Em 1990, foi um dos coordenadores do Projeto Arte, desenvolvendo, em conjunto com o maestro Mikhail Malt, com Maurício Martinazzo e o pesquisador de expressão corporal e de teatro Antonio de Alcântara, o curso multimídia que resultou na montagem do espetáculo Henakani-ê: Vida Que Te Quero Viva (em homenagem a Chico Mendes), que foi assistido por mais de 800 pessoas no Parque Municipal Comendador Antonio Carbonari. De 1992 a 1997, respondeu pela regência do Madrigal Acalanto, grupo vocal amador formado por profissionais de diversas áreas. Desde 1993 vem regendo o Coral Krupp, criado por iniciativa do Centro Cultural Campo Limpo Paulista, vinculado à Krupp Metalúrgica Campo Limpo Paulista, com o objetivo de propiciar aos funcionários daquela empresa a oportunidade de participação em atividades culturais. Paralelamente às aulas e à direção e regência de diversos grupos corais, em 1997 Marco Antonio respondeu pela orientação musical da Orquestra Vinha de Luz – projeto social e cultural voltado para cerca de 30 adolescentes, moradores da região do Jardim São Camilo – e, em 2001, criou o grupo instrumental Aeolus, reunindo sete ex-alunos de flauta doce da Casa da Cultura de Jundiaí.

1987: Marco Antonio (flauta), Carmem Sílvia Pernambuco (piano) e Eraldo Pinheiro (cavaquinho), em recital na Sala Glória Rocha. 
Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 16 de junho de ...
1927 Nascia em Jundiaí o escritor jurídico e fotógrafo amador Walter Campaz.
1952 Nascia em Morungaba-SP a contista, cronista e artista plástica Maria Helena de Paula Gomes Dias (Lena).
1966 Falecia em Jundiaí, aos 73 anos, o professor João Duarte Paes.
1982 Falecia em Jundiaí, aos 47 anos, o professor, jornalista e radialista Nelson Álvaro de Figueiredo Brito.
1987 Falecia em Jundiaí, aos 83 anos, o intelectual autodidata Walter Gossner.    
2023 Falecia em Jundiaí, aos 82 anos, o advogado, radialista e professor universitário Reinaldo Ferraz de Barros Basile.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO