PONTES, ALCEU DE TOLEDO

(Jundiaí, 14/5/1902 +13/8/1980) – Historiador, jornalista, ensaísta, poeta e ex-prefeito. Filho de Manoel Pontes Jr. e Victória de Toledo. Alceu Pontes iniciou seus estudos no Externato Coração de Jesus, fez o primário no Grupo Escolar Conde do Parnaíba, o ginasial no Ginásio Hydecroft, e graduou-se em Ciências Contábeis, na Escola Técnica de Comércio Prof. Luiz Rosa. Também diplomou-se em Literatura pela União Brasileira de Escritores. Casou-se em 1925 com Sylvandyra de Almeida (filha do dr. Manuel Chrisóstomo de Almeida e Carolina Campos), com quem teve três filhos: Maria Thereza, Pedro Alcântara e Maria da Glória. Considerou, também, sua filha, Judith Almeida Curado Arruda. Foi serventuário da Justiça, militando no Fórum de Jundiaí durante 46 anos e aposentou-se como tabelião do Cartório do 2º Ofício. Começou a colaborar na imprensa nos tempos de estudante, escrevendo para o Correio Paulistano. Também colaborou no Diário de São Paulo, A Gazeta, Paulistânia, Última Hora, Revista do Instituto de Engenharia, O Idealista, Jundiaí Jornal, revista A Sultana, Revista de Jundiaí, A Comarca, A Folha, Folha de Jundiaí, Diário de Jundiaí, Tribuna de Jundiaí, O Jundiaiense, O Artilheiro, Jornal de Jundiaí, Jornal da Cidade e Jornal de 2ª Feira. Foi redator dos jornais A Comarca e A Folha. Em 1928, em parceria com João Baptista Figueiredo, publicou o Almanaque de Jundiaí. Mais tarde, publicou os opúsculos: Entre o Trono e a Coroa (assunto histórico); Caras e Caretas (versos humorísticos, sob o pseudônimo de Felis Bino); O Viático (tese religiosa para o Congresso Eucarístico de Jundiaí); O Barão de Jundiaí (biografia de Antonio Queiroz Telles) e o livro-álbum Jundiaí (1973), com dados e informações históricas sobre o município. Também foi autor da parte relativa a Jundiaí no Grande Boletim da Comissão de Geografia e Estatística do Estado de São Paulo e, em parceria com outros historiadores, do livro Elementos para a História de Jundiaí, editado pela Prefeitura Municipal em 1955. Colaborou ainda, com João Luiz de Campos, na clas-sificação de verbetes para o Grande e Novíssimo Dicionário da Língua Portuguesa, de Laudelino Freire e J.L. Campos, tendo seu nome impresso, como lembrança, na definição do verbo aforar. Foi membro da Associação Paulista de Imprensa, da Associação Brasileira de Escritores, da Ordem dos Velhos Jornalistas de São Paulo e do Instituto Histórico e Geográfico do Estado de São Paulo, onde ocupou a cadeira que tem como patrono Rafael de Oliveira. Ao longo de sua vida, Alceu Pontes ocupou em Jundiaí os mais elevados postos, tais como o de Prefeito do Município (de 6/1 a 29/4//1947); os de presidente do Gabinete de Leitura Ruy Barbosa, da Casa da Criança, da Sociedade Jundiaiense de Socorros Mútuos e da Sociedade Amigos de Jundiaí; provedor da Casa de Saúde Dr. Domingos Anastasio (durante 18 anos); provedor da Irmandade do Santíssimo Sacramento (durante 14 anos); provedor do Carmelo São José (durante três anos). Também foi vice-presidente da Associação dos Ex-Combatentes de 32; secretário do Educandário Nossa Senhora do Desterro; secretário da Associação de Proteção Beneficente Barão de Jundiaí; membro do Conselho da Fundação Antonio-Antonieta Cintra Gordinho; chefe da Comissão Consultiva da Associação de Proteção Beneficente Barão de Jundiaí; sócio benemérito, honorário e remido do Clube Jundiaiense, da Associação Esportiva Jundiaiense, da Irmandade do Santíssimo Sacramento, do Paulista Futebol Clube e da Sociedade Beneficente Carlos Gomes; secretário da Comissão de Criação do Bispado de Jundiaí. Presidiu a subcomissão do Marco Histórico Oficial de Jundiaí e integrou as comissões constituídas para a escolha da Bandeira de Jundiaí e para julgamento dos trabalhos apresentados no Concurso Sobre a História de Jundiaí, por ocasião do 3º Centenário de Elevação de Jundiaí à Vila. Condecorações e outras honrarias: Medalha da Constituição, concedida pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, por sua participação no Movimento Constitucionalista de 32; Ordem do Fole, do Governo Inglês; Medalha de Prefeito Municipal Comemorativa do 3º Centenário de Jundiaí; Medalha Comemorativa da Criação do 1º Cardinalato da América Latina; Medalha Cultural e Comemorativa da Trasladação dos Despojos da Imperatriz Leopoldina; Comenda de Cavaleiro da Ordem da Solidariedade Italiana, concedida pelo Governo da Itália; Comenda da Ordem do Divino Salvador, da Província do Brasil e diploma de Benfeitor do Seminário Jordanianium; Personalidade do Ano em Jundiaí, em 1966, e Homenagem Especial do Clube dos Reservistas Olavo Bilac, em 1980. Como homenagem póstuma, o Poder Público Municipal atribuiu o seu nome a uma das ruas do Parque Cecap e a uma escola na região central de Jundiaí.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 22 de abril de ...
1934 Nascia em Jundiaí a professora e musicista Janet Ferreira Prado.
1966 Nascia em Jundiaí a jornalista, advogada, professora universitária e escritora Kátia Raquel Bonilha Keller.
1970 Nascia em Ouro Verde-SP o ator Vanderlei Dias de Oliveira.  

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO