LIMA, ALTAIR

(Barretos-SP, 8/7/1936 +Angatuba-SP, 24/12/2002) – Ator e produtor. Altair Lima iniciou sua carreira artística trabalhando em circos. Na década de 1960 foi para o Teatro Brasileiro de Comédias, onde chegou a diretor artístico em 1967. Em 1969, produziu o musical Hair, que ficou em cartaz até 1972 e lhe conferiu o Prêmio Roquete Pinto. Em seguida, produziu a ópera rock Jesus Cristo Superstar (adaptação poética de Vinícius de Moraes), comandando, no Teatro Aquarius, 50 atores e 40 músicos da filarmônica de São Paulo. Por causa da peça, Altair foi intimado para ser interrogado em Brasília. Mas a censura perdeu para a estratégia eficaz do produtor, que divulgou o espetáculo amplamente na mídia, mesmo antes de mandar o texto para ser examinado pelos censores. Todo o dinheiro que ganhou com o teatro, Altair aplicou no próprio teatro, construindo duas salas de espetáculos: o Teatro Aquarius, nos anos 70, e Teatro Procópio Ferreira, na década de 80. Na televisão, foi protagonista de várias novelas, destacando-se A Viagem, de Ivani Ribeiro. Com Procópio Ferreira, Rodolfo Maia e Glória Menezes, criou a primeira cooperativa de atores, encenando A Infidelidade ao Alcance de Todos, de Lauro César Muniz. No cinema, participou dos filmes Xica da Silva, de Cacá Diegues (no papel de Teodoro), em 1965, e Bicho de Sete Cabeças, de Laís Bodanski (no papel de Dr. Cintra), em 2001. A última peça que fez foi O Exercício, de J. Carlino, na qual atuou ao lado de sua mulher, a jundiaiense Isabel Ribeiro. No final dos anos 80, Altair veio morar em Jundiaí, onde manteve um programa de entrevistas com o seu nome, na Rádio Cidade, e também escreveu para jornais e revistas. Depois voltou para São Paulo, onde prosseguiu sua carreira, desempenhando os seguintes papéis em novelas: Jacobino, em Xica da Silva (1996); Desidério, em Mandacaru (1997); Tonho Inácio, em Chapadão do Bugre (1998); Jacinto Leão em Louca Paixão (1999); Joaquim, em Roda da Vida (2001). Em setembro de 2002, também voltou a fazer teatro, estreando o monólogo Mensageiro da Agonia – Hamlet no Teatro Sérgio Cardoso. Estava em cartaz há dois meses com essa releitura de Shakespeare – onde interpretava Horácio, o amigo a quem Hamlet pede que conte sua história – quando foi obrigado a recolher-se em seu sítio em Angatuba para o tratamento de problemas coronários e ali veio a falecer.

Hair: Peça ficou em cartaz de 1969 a 1972
Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 14 de junho de ...
1898 Falecia em Jundiaí, aos 56 anos, Antonio Damásio Santos, o primeiro jundiaiense nato a administrar a cidade com o título de intendente.
1912 Nascia em Jundiaí o pintor Arthêmio Matiazzo.
1924 Nascia em Milão, Itália, o fotógrafo Lívio Tagliacarne.
1928 Nascia no Rio de Janeiro a poetisa Hilda Santos da Silva.
1936 Nascia em Jundiaí o professor e engenheiro naval Dayr Schiozer.
1965 Nascia em Jundiaí a pintora Isabel Cristina Baptistella Araújo.
1986 Falecia em Jundiaí, aos 94 anos, a professora e poetisa Maria de Toledo Pontes.
2003 Falecia em Jundiaí, aos 73 anos, o artista plástico Issis Martins Roda.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO