FUNDO DE ASSISTÊNCIA À EDUCAÇÃO BRASILEIRA

Com o FAEB surgiu a I Mostra de
Arte Moderna de Jundiaí

FAEB – Entidade fundada em 1968, sob liderança do jornalista Celso de Paula – na época, terceiranista do curso de Magistério nas Escolas Padre Anchieta –, com o objetivo de estimular as atividades extracurriculares no meio estudantil, com a promoção de festivais e concursos de literatura, música, teatro e artes plásticas, e a realização de campanhas para arrecadar livros e materiais didáticos para os alunos carentes. O FAEB iniciou suas atividades com um concurso de cartazes para divulgar as suas propostas, o qual se estendeu do dia 12 ao dia 25 de novembro de 1968, envolvendo dezenas de alunos das Escolas Padre Anchieta. A premiação dos vencedores foi feita no dia 8 de dezembro, no Gabinete de Leitura Ruy Barbosa, com a entrega de medalhas e exemplares do livro A Planície, autografados pelo poeta Fábio Rodrigues Mendes. Após permanecerem 15 dias em exposição, os cartazes foram espalhados pelas escolas, distribuindo-se, também, entre os estudantes, milhares de panfletos com as propostas do movimento. Com Celso de Paula na presidência e o professor Joaquim Candelário de Freitas como patrono dessa sua causa, o FAEB conseguiu, já no início de 1969, um local para estabelecer a sua sede. Com autorização do presidente da Câmara Municipal, Engº Paulo Ferraz dos Reis, a entidade passou a ocupar o casarão que existia no início da Rua Barão de Jundiaí, junto ao Morro do Escadão, que fora desapropriado para a construção da sede do Legislativo. Após ligeiras arrumações, consistentes na limpeza e pintura das paredes internas do prédio, para cujas despesas foi passado um livro de ouro entre políticos e comerciantes, no dia 30 de março de 1969 o FAEB inaugurou nesse local uma feira de trocas de livros usados e uma mostra de arte, e nessa oportunidade prestou homenagem ao seu patrono, que houvera falecido no mês anterior. Da exposição tomaram parte os artistas do Grupo Avanço (João Borin, Eduardo Carlos Pereira, Juçara Pimenta de Pádua, Beto Cecchi e Úrsula Friedman, mais o pintor Issis Martins Roda e a ceramista Mercedes Borges, que durante várias semanas transmitiu os seus conhecimentos do trabalho com a argila aos visitantes da exposição. As atividades do FAEB prosseguiram até final de 1969, quando o velho casarão foi requisitado pelo Poder Público, para então ser demolido e dar ensejo à construção do atual Palácio da Esplanada.

Feira de troca de livros usados,
outra realização do FAEB.
Estudantes observam esculturas em
terracota. À direita, Celso de Paula, o
idealizador do FAEB.
Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 24 de abril de ...
1875 Nascia em Petrópolis-RJ o músico Eduardo Tomanik.  
1929 Nascia em Jundiaí o cantor Durval de Brito Salles.
1957 Nascia em Jundiaí o violeiro e violonista Lázaro Purgato, conhecido como Corvo Branco ou Corvo Campeiro.
1959 Nascia em Itatiba-SP a pintora Elisabeth Fontana Suzan.
1971 Nascia em Jundiaí Débora Emi Mitsunaga, a primeira brasileira descendente de japoneses a ser eleita Miss Nikkey Internacional.
1976 Nascia em Campinas-SP o músico Christian Ricardo Guerreira dos Reis.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO