EICHEMBERGER, RUBENS DÉCIO

(Jundiaí, 19/8/1921 +21/5/2001) – Compositor. Autor de várias músicas que exaltam valores jundiaienses, entre elas, o samba-canção intitulado Tesouro Anchietano, feito na década de 40, em homenagem às alunas do Ginásio e Escola de Comércio Padre Anchieta, e o Hino do Paulista F.C., composto por ele em 1950. Este segundo hino foi gravado em 1953 por Mosoer Felício, com acompanhamento do maestro Antonio Pellicciari, e em 1983, regravado, na voz de Dalmo Gatti, com acompanhamento de Éwerton Pernambuco (órgão e contrabaixo) e José Luiz Marques (bateria e percussão). Em 1952, obteve o terceiro lugar no concurso da música símbolo da Festa da Uva, com o baião Festa da Uva. Também fez várias composições em parceria com Álvaro Vanzan, tais como os sambas-canções Ansiedade e Lembrança, ambos de 1953. Destacou-se, ainda, em outras áreas ligadas à cultura, havendo obtido, em 1950, uma viagem-prêmio aos Estados Unidos, como primeiro colocado no 3º Curso Comercial Radiofônico da Universidade do Ar, então mantida pela Escola Senac/São Paulo.

Hino do Paulista F.C.

Tricolor, meu clube amado,

Seu caminho é o da glória,

Segue avante no gramado,

Traz os louros da vitória.

Mas se a luta te enfraquece,

A poder dos desenganos,

A história não te esquece,

Tu és Paulista dos veteranos!

Rá-rá-(bis)

Paulista, Paulista, Paulista!

É o jundiaiense que quer ver-te campeão!

Paulista, Paulista, Paulista!

Tu és o clube mais querido do torrão!

Paulista, Paulista, Paulista!

Sua bandeira gloriosa quer te cuttir

Guarda silente a alegria da conquista,

Tu és Paulista de Jundiaí!

Rá-rá-rá (bis)

Tesouro Anchietano

Saia verde, blusa branca

tem amor à sua escola;

Simples, generosa e franca

Não desdenha quem a olha – Tem olhar que ilumina

Tem cabelo reluzente

Seja moça, seja menina.

É de fato atraente

– Quando anda pela praça,

Todo o povo acha graça

No jeitinho que ela tem!

– Quer no baile ou no cinema,

Ela é um diadema…

Anchietana e mais ninguém! – Quem a vê, logo delira,

Tudo dança, tudo gira

Ante os lábios de rubi! – Tem um coração de ouro,

E é mesmo um tesouro:

– Anchietana de Jundiaí!

Ansiedade

Samba-canção, 9/2/1953

(parceria com Álvaro Vanzan)

Eu não sei por que você não vem,

Esperar me faz sofrer, meu bem!

Não me deixe tão só neste mundo

à mercê da ansiedade…

O tormento invadiu o meu ser…

Vivo só de saudade!

Se sofrer é pagar o tributo

do próprio pecado,

então eu pago, com o meu sofrimento,

o pecado do amor!

E agora eu suporto impaciente,

o desejo sem fim,

de apertá-la, afinal,

bem juntinho de mim!

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 13 de julho de ...
1885 Nascia em Penta, distrito de Salermo, Itália, Domingos Bisogni, fundador da Associação dos Alfaiates de Jundiaí.
1934 Nascia em Itatiba-SP a pintora e ceramista Helena Garcia.
1947 Nascia em Jundiaí o músico Antonio Marques (Toninho Marques).
1967 Falecia em Jundiaí, aos 42 anos, o diretor teatral Irineu Tromboni.
1981 Falecia em Pindamonhangaba-SP, o artista circense, humorista de rádio e cineasta Amácio Mazzaropi.
1982 Falecia em Jundiaí o pintor Orlando Rômulo Paschoal, participante do I Salão Jundiaiense de Belas Artes.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO