BIANCARDI, ELVIRA CHIQUINE

(Jaú-SP, 26/2/1929) – Cantora e pianista. Filha de Domingos Chiquino e Philomena Palmerini. Formada em Canto na Universidade Católica de Campinas (1958), em Canto no Instituto Musical Dr. Gomes Cardim, também em Campinas, e em Piano no Conservatório Musical de Jundiaí, Elvira Chiquine Biancardi exerceu o magistério durante mais de 30 anos, lecionando essas disciplinas em escolas da rede estadual de 1º e 2º graus, no Conservatório Musical de Jundiaí e em sua própria residência, onde formou e deu cursos de aperfeiçoamento a dezenas de artistas. Também foi professora de Canto Orfeônico no antigo GEVA, nas escolas Barão de Jundiaí, Rafael Mauro, Francisco Napoleão Maia, Geralda Berthola Facca e Siqueira Moraes, em Jundiaí; nos ginásios l5 de Outubro e Francisco Monlevade, em Campo Limpo Paulista, e na Escola Joaquim Antonio Ladeira, em Louveira. No Conservatório de Jundiaí, lecionou Piano de 1953 a 1955 e de 1961 a 1974; Canto, de 1963 a 1966 e de 1972 a 1974; e Piano, de 1963 a 1973. Em paralelo às atividades no magistério, e antes mesmo de diplomar-se, Elvira manteve ativa participação nos eventos culturais e artísticos da cidade – participação, aliás, que ainda mantém, como soprano do Schola Cantorum, o coro da Catedral de Nossa Senhora do Desterro, no qual também desempenhou as funções de organista e solista de canto. No final dos anos 40, já participava de programas da Rádio Difusora Jundiaiense, apresentando-se como solista ou acompanhando outros músicos e cantores da época. Em 1947, por exemplo, teve participação em diversos programas comandados por Mário Chaves (Solos de Piano), na Rádio Difusora Jundiaiense. Eram constantes, também, suas participações em programas de auditório e em festivais beneficentes realizados nos cines-teatros Ideal e Polytheama, no Gabinete de Leitura e no Clube São João. Sob sua orientação musical, formaram-se na cidade numerosos cantores que progrediram em suas carreiras, desde Shirley Lessi, nos tempos em que a televisão mal havia chegado ao País, a Artur Germano Jr., que foi seu discípulo no início da década de 60. Elvira Biancardi foi, também, organizadora e regente do Coral Acadêmico da Faculdade de Medicina e do Orfeão do Conservatório Dramático e Musical de Jundiaí, além de haver colaborado, durante cerca de 40 anos, nas atividades do conjunto Nonô e Seu Ritmo, criado e dirigido por seu marido, Antenor Nicola Biancardi.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 14 de junho de ...
1898 Falecia em Jundiaí, aos 56 anos, Antonio Damásio Santos, o primeiro jundiaiense nato a administrar a cidade com o título de intendente.
1912 Nascia em Jundiaí o pintor Arthêmio Matiazzo.
1924 Nascia em Milão, Itália, o fotógrafo Lívio Tagliacarne.
1928 Nascia no Rio de Janeiro a poetisa Hilda Santos da Silva.
1936 Nascia em Jundiaí o professor e engenheiro naval Dayr Schiozer.
1965 Nascia em Jundiaí a pintora Isabel Cristina Baptistella Araújo.
1986 Falecia em Jundiaí, aos 94 anos, a professora e poetisa Maria de Toledo Pontes.
2003 Falecia em Jundiaí, aos 73 anos, o artista plástico Issis Martins Roda.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO