AJUDARTE, URBANO

(Jundiaí, 8/3/1925 +5/5/1996) – Cronista, contista e pintor. Filho de Fernando Ajudarte Perez e Ida Prandini. Formou-se Técnico em Contabilidade, em 1949, pela Escola Técnica de Comércio Padre Anchieta, e Desenhista, pela Escola Profissional Municipal. Foi escriturário na Cia. Paulista de Estradas de Ferro no período de 1945 a 1950 e, a partir daí, estabeleceu-se como contabilista autônomo, exercendo essa atividade até se aposentar. Seu talento para a literatura e o desenho revelou-se ainda na infância, quando costumava reproduzir, à mão livre, personagens de histórias em quadrinhos. Seus contos, novelas, poesias e crônicas, muitos deles com ilustrações a bico-de-pena, tornaram-se conhecidos através dos jornais O Repórter e A Folha e da Revista de Jundiaí, nos quais colaborava esporadicamente. Grande parte de seus escritos, entretanto, permanece inédita. Entre os trabalhos publicados, estão: Ingenuidade; O Jardim do Silêncio; A Menina e a Festa; As Máscaras; A Concertina; Cigana e O Retiro do Amor. Restam, ainda inéditos: Lilás; Natal na Capela; Brisas de Verão; Primavera; Fantasia de Outono; Tristezas de Inverno; Parábola das Duas Borboletas; Apoteose; O Supremo Abstrato; Pré-História; Um Ego Estranho; As Duas Vidas; O Amante de Ieda; Duendes ao Luar; A Cruz das Brumas Eternas; E o Tempo Passou; Vovô Venturino; Na Terra dos Papudos; A Vida na Fase do Espelho; Um Conto de Natal; O Rato; Velha Serenata; O Cão Leal; Mistérios d’Alma; Paisagem Noturna; Máscara Diáfana; Melancolia Vesperal; Anjo Indigente e Crepúsculo Sereno, além de inúmeras crônicas e cartas sobre o cotidiano da cidade de Jundiaí. Dono de um estilo marcante também na pintura, Urbano Ajudarte produziu inúmeros quadros que hoje adornam as casas de seus irmãos e de muitos amigos. Urbano foi, ainda, um grande apreciador da música, chegando a possuir uma das mais ricas discotecas de Jundiaí, composta tanto por discos de 78 rotações e LPs como por CDs. Seu interesse pela arte e pelas tradições do povo brasileiro e de outros países levou-o a conhecer os principais pontos turísticos do Brasil, das Américas, da Europa, da Ásia e da África.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 14 de junho de ...
1898 Falecia em Jundiaí, aos 56 anos, Antonio Damásio Santos, o primeiro jundiaiense nato a administrar a cidade com o título de intendente.
1912 Nascia em Jundiaí o pintor Arthêmio Matiazzo.
1924 Nascia em Milão, Itália, o fotógrafo Lívio Tagliacarne.
1928 Nascia no Rio de Janeiro a poetisa Hilda Santos da Silva.
1936 Nascia em Jundiaí o professor e engenheiro naval Dayr Schiozer.
1965 Nascia em Jundiaí a pintora Isabel Cristina Baptistella Araújo.
1986 Falecia em Jundiaí, aos 94 anos, a professora e poetisa Maria de Toledo Pontes.
2003 Falecia em Jundiaí, aos 73 anos, o artista plástico Issis Martins Roda.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO