SOUZA, LUIZ BIELA DE

(Sorocaba-SP, 1/3/1910 +Jundiaí, 19/7/1978) – Professor e maestro. Filho de Domitila de Souza e do mestre de banda e orquestra Luiz Biela de Abreu, Luiz Biela conviveu com a música desde a infância. Ouvindo as aulas ministradas pelo pai, aos três anos já tinha percepção das falhas cometidas por seus alunos. Aos cinco anos, era escolhido como o melhor, num concerto público em Jaú-SP, concorrendo com músicos profissionais. Depois de iniciar seus estudos de violino com o pai, Luiz Biela tornou-se aluno do maestro Tristão Jr. e, sob a orientação deste, formou na Igreja Bom Jesus, de Itu-SP, um coro e orquestra de meninos, com 40 componentes, mais a organista Isabel Pacheco. Aos 16 anos já lecionava violino no Colégio do Carmo e também dava aulas particulares em Itu. Na sequência de seus estudos, tomou aulas de contraponto e fuga com o professor Francisco Fávero e cursou o magistério. Em 1936, tornou-se concertista de violino, estudando com o professor Zacarias Autuori, em São Paulo, e em 1944, diplomou-se em violino e piano, pelo Conservatório Musical de São José do Rio Preto-SP. Residiu em Rio Preto, de 1938 a 1947. Exerceu, nesse período, os cargos de catedrático do Conservatório Musical, professor do Colégio Santo André e de canto orfeônico do Colégio Estadual e Escola Normal de Mirassol-SP. Morando em Mirassol, de 1947 a 1949, foi diretor dos coros da Igreja Matriz e das igrejas Nossa Senhora Aparecida e Cristã Presbiteriana; diretor do Orfeão, encarregado de música da Casa da Cultura; espala da Orquestra Sinfônica e organizador de programas lítero-musicais de vários clubes e associações. Sua transferência para Jundiaí, em 1949, deveu-se ao ingresso no Magistério Secundário e Normal, após concurso prestado para a cadeira de Canto Orfeônico, no qual foi classificado em 1º lugar entre 122 candidatos. Aqui, fixou sua cátedra no Colégio Estadual e Escola Normal e, ao mesmo tempo, passou a lecionar, também, no Conservatório de Canto Orfeônico de Campinas-SP. Nesse Conservatório, cumpriu estágio de direção junto ao maestro Julião, obtendo em dezembro de 1949, o terceiro título de Diretor de Conservatório de Canto Orfeônico expedido no Brasil. Em 1950 – quando tornou-se diretor do Conservatório de Canto Orfeônico Maestro Julião, da Universidade Católica de Campinas – recebeu do Presidente da República, Eurico Gaspar Dutra, o título de Comendador da Ordem de Ruy Barbosa. Também nesse período, esteve na Universidade da Califórnia (EUA), como convidado. Em 1952, atuou como professor de Canto Orfeônico também na Escola Senai Conde Alexandre Siciliano, em Jundiaí. Em 1962, a convite do Ministério de Educação e Cultura, realizou uma série de conferências e seminários de Educação Musical em cidades do Norte e do Nordeste, em Vitória-ES, Goiânia-GO, Brasília-DF, Niterói-RJ, Rio de Janeiro e Belo Horizonte-MG. Como concertista e compositor, percorreu numerosas cidades do Estado de São Paulo. Foi, também, um dos coordenadores e presidente da Sociedade Jundiaiense de Cultura Artística, cuja orquestra regeu a partir de 1957. Escreveu dezenas de livros didáticos e pedagógicos, tais como: Didática da Teoria Musical, Contraponto e Fuga, A Difícil Arte do Violino e Curso de Canto Orfeônico. Publicou, também, um álbum de poemas, sonetos e acrósticos, e deixou mais de 250 obras musicais, abrangendo temas foclóricos, hinos a datas cívicas e festivas, hinos religiosos, hinos a cidades e a escolas (como às faculdades de Direito e de Pedagogia Padre Anchieta), além de peças e arranjos para coro, orfeão e canto e para os mais diversos tipos de instrumento e conjuntos musicais. Na década de 1970, quando o ensino de Música deixou de ser obrigatório nas escolas, Luiz Biela aposentou-se do magistério e voltou o seu interesse para o campo do Direito. Formado pela Faculdade Padre Anchieta, exerceu a advocacia até falecer. Por sua obra musical, Luiz Biela de Souza é citado em várias publicações especializadas, como o Dicionário de Música e o livro Anedotas, Pensamentos e Curiosidades sobre a Música e Músicos, de Alice Pagano. Também é citado na obra Brasil: O Brasileiro de Hoje, publicada pelo Ministério de Educação e Cultura (1961) e no Dicionário Jundiaiense de Música, de Celso de Paula (Ed. Literarte, 1999).

Maestro Luiz Biela à frente da orquestra da S.J.C.A., nos anos 1960
Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 24 de abril de ...
1875 Nascia em Petrópolis-RJ o músico Eduardo Tomanik.  
1929 Nascia em Jundiaí o cantor Durval de Brito Salles.
1957 Nascia em Jundiaí o violeiro e violonista Lázaro Purgato, conhecido como Corvo Branco ou Corvo Campeiro.
1959 Nascia em Itatiba-SP a pintora Elisabeth Fontana Suzan.
1971 Nascia em Jundiaí Débora Emi Mitsunaga, a primeira brasileira descendente de japoneses a ser eleita Miss Nikkey Internacional.
1976 Nascia em Campinas-SP o músico Christian Ricardo Guerreira dos Reis.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.
1985 Nascia em Jundiaí o ator e diretor teatral Ricardo Luiz Grasson.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO