SOCIEDADE JUNDIAIENSE DE CULTURA ARTÍSTICA

Nessa foto dos anos 1940, aparecem: Orestes Khoeller, Ângelo Pellicciari, Manoel Dias, Luiza Mathion, Orestes Pellicciari, Pedro Pazzinatto, José Corrêa da Silva, João Xavier da Costa, José Maria Passos, Dr. José Romeiro Pereira, Renê Blattner, Deolinda Copelli, Maria Tomanik, José Maria Passos Filho.

Entidade criada em 21 de abril de 1932, com a finalidade de promover o cultivo e desenvolvimento das artes em geral, muito especialmente a música; organizar uma orquestra permanente para execução de obras de todas as épocas e escolas; constituir um pecúlio para a instalação de sua sede, compra de músicas e instrumentos; promover concertos dedicados aos associados, e realizar festivais em benefício de instituições de caridade ou de sócios-artistas enfermos, despidos de recursos. Elaborados por uma comissão composta por Eduardo Tomanik, Deodato Pestana e Arthur Vasques, os estatutos da entidade obtiveram aprovação no dia 28 do mesmo mês e ano, em assembleia realizada no Grêmio Recreativo dos Empregados da Companhia Paulista, na qual também foi aclamada e empossada a sua primeira diretoria, assim constituída: Presidente, Eduardo Tomanik; Vice-Presidente, Carlos de Salles Block; 1º Secretário, Oswaldo Sacchetto; 2º Secretário, Joaquim da Silva Bocayuva; 1º Tesoureiro, Paulo Corrêa da Silva; 2º Tesoureiro, Oswaldo Sereno; Conselho Fiscal: José Augusto Machado, Affonso Pires Fleury, Raul Sacchetto, Salvador Maffia e Pedro Mortensen Jr. Além dos já citados, tiveram papel de relevo na história da entidade: Deolinda Copelli, Melânia Fortarel Barbosa, Maria Tomanik, Luíza Mathion, Ângelo Pellicciari, José Maria Passos, Manoel Dias, Nina Blumer Pires, Pedro Pazinatto, Olga Blattner, Alfredo Fronzaglia, Mário Leandro de Faria, Lázaro Miranda Duarte, René Blattner, Savério Colagrossi, Raul Mathion, Nicolau Mattar, Oswaldo Bárbaro, Jacyro Martinasso, Geraldo Calasans, Bruno Volet, João Nalini, João Xavier Dias da Costa, Wanda Quartarolli Moreira, Salim Gebran, Glória da Silva Rocha Genovese, Luiz Biela de Souza, Armando Colaferri, Valdir Fontebasso e Ariosto Mila. Também foram seus músicos: Maria de Lourdes Paes, Orestes Pellicciari, Edgar Piacentini, Salathiel Damasco, Luiz Pereira, Cyro de Barros, Alzira Klemm, João Canela, Aristodemo Mota, Jorge Martho, Rafael Avallone, Antonio Sabatini, Oswaldo Pissolato Jr., Júlio Evangelista Barbosa. A orquestra criada pela SJCA foi, durante muitos anos, escola para os músicos jundiaienses, tendo passado por ela nomes famosos, vindos de outras localidades. Além de apresentar-se no Cine Theatro Polytheama, antes do início das sessões e, muitas vezes, fazendo a sonorização dos roteiros de filmes não falados, a corporação fazia-se presente nos principais eventos culturais da cidade e também atendia convites para realizar concertos fora de Jundiaí. As dificuldades financeiras para sua manutenção, entretanto, vieram agravar-se na década de 1960, determinando, primeiro, a redução de suas atividades e, por fim, a sua total paralisação. Em 1984, por iniciativa de um novo grupo de jundiaienses, a Sociedade Jundiaiense de Cultura Artística ressurgiu, participando da campanha em prol da restauração do Cine Theatro Polytheama e dando respaldo à manutenção da então recém-criada Orquestra Sinfônica Jovem de Jundiaí. A partir de 1990, também passou para sua administração o Coral Canto Vivo, transformado, mais tarde, na Cia. de Artes e Cultura Canto Vivo. Desde 1998, a Sociedade Jundiaiense de Cultura Artística desenvolve o Projeto Concertos Astra/Finamax, idealizado e dirigido pelos maestros Cláudia Feres e Marcelo Stassi, apresentando uma série de espetáculos nacionais e internacionais no atual Teatro Polytheama e na Sala Glória Rocha.

A orquestra da S.J.C.A., em 1963, no Grêmio Recreativo dos Empregados da Cia. Paulista de Estradas de Ferro. Aparecem sentados, da esquerda para a direita: Oswaldo Pissolato, Edgar Piacentini, Ângelo Pellicciari, Wanda Quartarolli, Olga Blattner, Melânia Fortarel, Maestro Luiz Biela de Souza, Alzira Klemm, Luiza Mathion, Maria B. Tomanik, Maria de Lourdes Paes e Politi. Em pé: Salathiel Damasco, Luiz Pereira, Cyro de Barros, Orestes Pellicciari, João Canela, Aristodemo Mota, Geraldo Calasans, Jorge Martho, Rafael Avallone, Renê Blattner, Pedro Pazinatto, Antonio Sabatini e Júlio Evangelista Barbosa.
Apresentação da Orquestra da Sociedade Jundiaiense de Cultura Artística nos anos 1960
Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 13 de junho de ...
1966 Nascia em Montevidéu-Uruguai a coreógrafa Lis Michele Garcia Alaniz Lopes.
2008 Falecia em Jundiaí, aos 63 anos, a pianista e bailarina Teresa Cristina Sciamarelli.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO