SIGULDA, TAO

Riga-Letônia, 4/4/1914 +Jarinu-SP, 10/2/2006 – Pintor, escultor e gravador. Tao Sigulda recebeu toda a sua formação artística na Europa, com grandes mestres, tornando-se também, mestre de outros artistas. Tao chegou ao Brasil em 1960 e em 1982 montou o seu ateliê no Bairro Figueira Branca, na divisa dos municípios de Jarinu e Campo Limpo Paulista, junto ao qual também construiu um espaço cultural – o Centro Cultural Tao Sigulda – ondepassou a realizar grandes mostras de artes, reunindo pintores, escultores e gravadores de toda a região, bem como de outras partes do Brasil, além de convidados de outros países. Uma das mais notáveis criações de Tao é uma série de jogos de xadrez, nos quais as peças esculpidas em bronze contam a história dos povos e das suas grandes lutas. Tao planejou criar 64 jogos de xadrez, para contar os 6.400 anos de história da humanidade. Cada um desses jogos corresponde a cem anos de história. Trajetória Artística: 1928/1930 – Estudos técnicos. Forma-se armeiro (técnico em fabricação de armas); 1930/1931 – Estudos de Arte no Studio de Roma Sutta (Escola de Petersburgo); 1930/1933 – Faculdade de Arquitetura de Riga. Obtém diploma de Dr. Tode. Licencia-se pelo Liceu de Artes de Stuttgart (Alemanha), com o professor Loercher/escultura.Passa dois meses de estudos de Arte na Itália: Milão, Veneza, Firenze, Roma, Nápoles, Palermo (bolsa); 1934 – Estágio especial na Fábrica de Porcelana Jessen em Riga-Letônia, onde aprende a trabalhar com gesso e porcelana (moldes); 1935/1936 – Bolsista premiado na Academia de Belas Artes de Munich/Alemanha: escultura, fundição em bronze com o professor Bernhard Bleecker; anatomia com o professor Mollière. Faz, simultaneamente, estudos de Filosofia e Psicologia; 1936/1937 – Bolsista da Faculdade de Artes Plásticas de Berlim, estuda esculturas em pedra e madeira com os professores Kranz e Hitzberger; pintura com o professor Welte. Faz visita de seis semanas à Exposição Mundial de Paris, quando frequenta diariamemte o já célebre atelier de Pablo Picasso, em Montmartre; 1938 – Participa da Coletiva do Clube dos Artistas de Stuttgart. Volta à Faculdade de Artes Plásticas de Berlim. Escreve o livro “Sein” (“Ser”), que é editado clandestinamente, sem identificação do autor, por ser contrário ao regime político dessa época; 1939/1940 – Novamente bolsista na Academia de Belas Artes de Stuttgart, com o professor Fritz von Graevenntz. Ganha o grande título de aluno-mestre. Monta seu próprio ateliê; 1941 – Na Baltik-Film, de Riga, começa a fazer cinejornalismo sobre a guerra. Filma em várias frentes de batalha até 1943; 1944/1945 – Atua na Marsfilm, de Berlim, como assessor artístico e técnico do cortador-chefe da Bal-tik-Film, TummelTummelovic. Nova edição do livro filosófico Sein, com prefácio do pastor Vehlm, da Holanda; 1945/1951 – Ateliê de arte, escultura e fundição em bronze em SchwaebishGmuend-Alemanha. Sai o famoso livro 600 JahreGmuender Goldschmiede-Kunst (600 Anos de Arte em Gmuend), do professor Walter Kleim, com duas páginas de ilustração e uma página e meia de texto sobre sua obra; 1947 – Participação na coletiva Artistas da Letônia, em Essilingen; na coletiva Maior Leppesquere, em Stuttgart, com anotações de Frankfurter Rundschau (Beutel) e outros; Individual em Schwaebisch Gmuend; 1948 – Coletiva na Casa do Artista de Stuttgart, Schaller; 1951 – Coletiva Hagenbund, em Viena-Áustria; Coletiva PallaisHarrach (Viena-Áustria.); 1952 – Graz-Áustria, Arquitetura; 1953 – Monta ateliê próprio de Artes Plásticas em Viena, para atender a particulares e construtoras, além de colecionadores; 1957 – Volta à Alemanha, onde faz cenários para teatro e encomendas especiais para colecionadores e museus; 1959 – Exposição individual na Galeria Senatore, em Stuttgart – Individual na Casa do Artista, em Ulm (Alemanha); 1960 – Exposição individual na Galeria Del Ponte, em Nápoles, Itália (todas as obras expostas são adquiridas no primeiro dia pelo colecionador napolitano Angel Blasi). Tao e sua esposa, Tama, viajam nesse ano para o Brasil, com intenção de seguirem para o Canadá, mas acabam se fixando no Estado de São Paulo; 1961 – Coletiva na Galeria Prestes Maia (São Paulo); 1962/1963 – Pró-Arte, São Paulo: direção e cenários do Teatro Experimental; Direção da Escola de Arte Dramática da Pró-Arte; Criação de obras de arte para colecionadores e particulares; 1964/1966 – Cenários para o Teatro Alemão Berta Slemer, Pró-Arte, Casa de Goethe, Deutsches Theater na Aliança Francesa; obras sob encomenda; 1967 – Participação na Saginaw Fair, Detroit-Michigan-EUA com cinco trabalhos. Conquista o 1º, 2º e 6º prêmios e o Great Seallof Michigan; 1968/1969 – Ateliê e exposição permanente na Alameda Fernão Cardin (São Paulo); Individual na Vila Rosa, São Paulo; 1971 – Ganha concorrência internacional (com a participação de Salvador Dali), para criar e executar todos os interiores da Igreja do Preciosíssimo Sangue de Cristo, na Tijuca, Rio de Janeiro: Via Sacra, imagem de Cristo Vencedor, imagem de Nossa Senhora, altares, sacrários, vitreaux, batistério etc.; 1973 – Coletiva em Bremen, Alemanha: Quatro Artistas Brasileiros; 1974 – Expo Teuto-Brasileira no MASP, Ibirapuera, São Paulo; 1975 – Individual no Salão da Comgás (São Paulo), onde lança a alugravura (gravura em alumínio); 1976 – Individual na Galeria de Arte do Iate Clube do Rio de Janeiro; Executa o busto de Johann Wolfgang von Goethe, para o jardim da Biblioteca de São Paulo, na Rua Bráulio Gomes; Individual na Galeria Bandeirantes, São Paulo; 1977 – Individual durante o Congresso do Rotary Club, em Águas de Lindóia-SP; Doa peças para o leilão de arte dos Cavaleiros da Cruz de Malta, realizado pelo célebre Irineo Angulo (S. Paulo); Individual durante o Congresso de Proctologia, em Goiânia-GO; Individual no saguão do Paço Municipal de Campo Limpo Paulista-SP; 1978 – Exposição no Centro Cultural Bandeirantes (Jundiaí); 1979 – Exposição na Galeria Iate Club (Rio de Janeiro); Exposição no Centro Cultural Skandia (Bogotá, Colômbia); Convidado especial no 7º Encontro de Artes da EPSG Antenor Soares Gandra (Jundiaí); 1980 – Exposição no saguão da Prefeitura Municipal de Campo Limpo Paulista-SP; 1981 – Exposição no Centro de Convivência Cultural (Campinas-SP); 1982/84 – Montagem do Ateliê Expo T.S. no bairro Figueira Branca (Campo Limpo Paulista-SP); 1985/1996 – Participação nas Coletivas (duas por ano) no Centro Cultural Tao Sigulda; 1986 – Exposição na Feira dos Municípios no Parque Anhembi (São Paulo); 1987 – Coletiva no Museu de Arte Contemporânea de Americana (SP); 1988 – Coletiva no Museu Histórico de Jundiaí; 1989 – Individual no Museu Histórico de Jundiaí; 1992 – Coletiva (três artistas) no Centro Cultural Mislata (Valência, Espanha); Coletiva I Mostra de Arte FIEO (Osasco-SP); 1994 – Convidado especial na Casa das Américas (Havana-Cuba), na I Bienal Paulista (Valinhos-SP) e no Jarinu Artes V (Jarinu-SP); 1995 – Convidado especial na Coletiva Arte do Momento (Havana-Cuba e Morelia/Michucan México, e Jarinu Artes VI); 1996 – Convidado especial na Coletiva Arte do Momento (Valinhos-SP, Blumenau-SC e Jarinu Artes VII); Individual no Grêmio Recreativo C.P. (Jundiaí), com promoção do Espaço Cultural Literarte; Exposição comemorativa pela reinauguração do Teatro Polytheama (Jundiaí); 1997 – Exposição comemorativa ao lançamento do Anuário Jundiaiense de Artes Plásticas-97 (Grêmio Recreativo C.P., Jundiaí); Mapa Cultural Paulista (Piracicaba-SP); Jarinu Artes VIII; Pão & Poesia V (Parque Municipal Comendador Antonio Carbonari, Jundiaí); Leilão de arte em prol do Grendacc (Jundiaí); Lançamento do catálogo da exposição comemorativa à reabertura do Teatro Polytheama (Jundiaí); Exposição da Primavera (Paço Municipal de Campo Limpo Paulista-SP); 1998 – Exposição no Gabinete do Prefeito Municipal de Campo Limpo Paulista; Exposição na Semana de Aniversário de Jarinu-SP; Coletiva de lançamento do Anuário Jundiaiense de Artes Plásticas-98 (Grêmio C.P., Jundiaí); Exposição comemorativa ao lançamento do Anuário Paletas-98 (Ed. Markovisky), na 15ª Bienal do Livro ( Expo Center Norte e Galeria Marli Vilas Boas, São Paulo); Convidado especial na exposição comemorativa Mulheres em Sol Maior V, no Teatro Paulo Autran (São Paulo); Convidado especial na exposição Fragmentos do Cosmos, no Thaba (Americana-SP); XXVI Coletiva de Artes Plásticas no Centro Cultural Tao Sigulda (Campo Limpo Paulista); Participação no I Simpósio Internacional de Escultura Monumental em Aço Inox, realizado em São Caetano do Sul-SP, onde criou o monumento Bandeirante 2000, em aço inoxidável, com 8 m de altura; Jarinu Artes IX (Jarinu-SP); Primavera no Paço (Campo Limpo Paulista); XXVII Coletiva de Artes Plásticas no Centro Cultural Tao Sigulda (Campo Limpo Paulista-SP); 1999 – Jarinu Artes, como convidado especial; XXVIII Coletiva de Artes Plásticas no Centro Cultural Tao Sigulda (Campo Limpo Paulista-SP); Arte no Paço (Campo Limpo Paulista-SP); Coletiva de lançamento do Anuário Jundiaiense de Artes Plásticas-99 (Grêmio C.P., Jundiaí); Coletiva em Blumenau-SC; XXIX Coletiva no Centro Cultural Tao Sigulda (Campo Limpo Paulista); Coletiva de abertura da Sala Cecília Meirelles (Complexo Cultural Argos, Jundiaí); 2000/2005 – Todas as coletivas do C. C.Tao Sigulda. Acervos: Tao Sigulda possui trabalhos em museus da Suíça e do Brasil e em poder de colecionadores da Suíça, Austrália, Áustria, África, Bélgica, Brasil, Canadá, Estados Unidos (só um colecionador deste país possui 86 obras suas), França, Inglaterra, Itália, Letônia, Trinidad, e União Soviética. No Brasil, Tao executou obras para a Igreja do Preciosíssimo Sangue de Cristo (Rio de Janeiro); para a Embaixada da Hungria, em Brasília; o busto de Goethe, em São Paulo; o busto de Francisco de Luccia, também em São Paulo; o busto de Erich Markus, em Araguari-MG; o busto do Conde Sciciliano, em Jundiaí; o busto de Antonio Agu, em Osasco-SP, e várias outras obras em diversos edifícios de São Paulo e do Rio de Janeiro. Contam-se também, entre suas obras, o busto do Dr. Saburo Matsumoto, em São Paulo; o monumento Trabalho e Desenvolvimento e o monumento da Krupp Metalúrgica, em Campo Limpo Paulista. Publicações: Standpunkt, Welt der Frau, Ansaetze, Akademishe Jugend, Radius, Stuttgart. Ulmer Nachrichten; 1ª edição do livro Sein, com assinatura; poemas sobre Arte e Vida em prosa, Remsdruck Gmuend; Sein II (filosofia de Arte e Vida – Karl Mayer, Verlag Stuttgart); Plaketten und Medaillenp/Estúdio de Arte Tao Sigulda (Aries-Widder) – Remsdruckerei. Edições particulares: Der Drachenteppich(Tapeçaria dos Dragões, conto); Die Eisblume (Flor de Gelo, conto); Arcanum 9 (contos); De Echnaton a Leonardo da Vinci (teatro); 2003 – lançamento do livro“Ser” (versão de “Sein” em língua portuguesa, Ed. Literarte, Jundiaí). Em 2004, quando o artista completou90 anos, foram lançados os livros “Tao Sigulda – A Arte é a Caligrafia da Alma” e “Arte, Educação e Projetos – Tao Sigulda para Crianças e Educadores”.

Centro Cultural Tao Sigulda.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 13 de junho de ...
1966 Nascia em Montevidéu-Uruguai a coreógrafa Lis Michele Garcia Alaniz Lopes.
2008 Falecia em Jundiaí, aos 63 anos, a pianista e bailarina Teresa Cristina Sciamarelli.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO