PEREIRA, JOSÉ ROMEIRO

(Jundiaí, 17/12/1914 +26/10/1961) – Filho do coronel Boaventura Pereira Neto e de Josefina Romeiro. Fez o curso primário no antigo Colégio Florence, em Jundiaí. Concluiu o secundário no Ginásio São Joaquim, em Lorena-SP, ingressando, em seguida, na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Destacou-se, na Academia, como orador oficial do Centro Acadêmico 11 de Agosto, função que lhe iria caber, também, na colação de grau de sua turma. Ainda na Faculdade de Direito, dirigiu a revista O Progressista; depois de formado, colaborou na Revista Judiciária e em praticamente todos os jornais de Jundiaí. Como educador, lecionou Sociologia na antiga Escola Normal Livre de Jundiaí; Economia no Colégio Universitário (anexo à Faculdade de Direito de São Paulo); Direito Social na Faculdade de Direito de São Paulo (como assistente do professor Cesarino Júnior); Direito Administrativo na Universidade Católica de Campinas; Economia Política na Faculdade de Sociologia de São Paulo. Ingressou na carreira política em 1936, como vereador da Câmara Municipal de Jundiaí, vindo tornar-se prefeito da cidade, em dezembro de 1945, por nomeação do interventor estadual Carlos de Macedo Soares. Durante a sua administração foi criado o Corpo de Bombeiros, foi reaberto o Parque Infantil da Praça da Bandeira e foram pavimentadas inúmeras ruas da cidade. Após deixar a chefia do Executivo jundiaiense, em 1947, candidatou-se a uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado, sendo eleito com consagradora votação. Reelegeu-se em 1951 e, no final do seu mandato, em 1954, foi nomeado pelo governador Lucas Nogueira Garcez para chefiar três Secretarias de Estado: a de Governo, a de Saúde e a de Educação. Nesse período, graças à sua atuação, Jundiaí ganhou novas salas de aula nos grupos escolares Francisco Napoleão Maia e Francisco Monlevade, as escolas primárias da Vila Rio Branco, do Caxambu e da Fábrica São Jorge e escolas mistas no Bairro de São João Batista e na Cerâmica Japi. Vários de seus discursos e conferências tiveram grande repercussão na imprensa, sendo lembrados, entre outros, o que pronunciou, como deputado, sobre a Reforma do Judiciário; a conferência que fez no Gabinete de Leitura Ruy Barbosa, em defesa da instituição do matrimônio; o discurso Ruy, o Jornalista (feito a pedido do embaixador Carlos de Macedo Soares, em 1949, no Curso Ruiano); e a sua famosa Oração pelo Restabelecimento de S.S. o Papa Pio XII. Em outubro de 1962, a Sociedade Amigos de Jundiaí e o núcleo local da União Brasileira de Escritores (UBE) fizeram publicar a sua biografia, escrita pela poetisa jundiaiense Judith de Arruda Carretta.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 16 de junho de ...
1927 Nascia em Jundiaí o escritor jurídico e fotógrafo amador Walter Campaz.
1952 Nascia em Morungaba-SP a contista, cronista e artista plástica Maria Helena de Paula Gomes Dias (Lena).
1966 Falecia em Jundiaí, aos 73 anos, o professor João Duarte Paes.
1982 Falecia em Jundiaí, aos 47 anos, o professor, jornalista e radialista Nelson Álvaro de Figueiredo Brito.
1987 Falecia em Jundiaí, aos 83 anos, o intelectual autodidata Walter Gossner.    
2023 Falecia em Jundiaí, aos 82 anos, o advogado, radialista e professor universitário Reinaldo Ferraz de Barros Basile.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO