DADALT, IVANIRA DE SOUZA LIMA

(Jundiaí, 25/4/1939) – Poetisa. Nome literário: Ivanira Dadalt. Filha de Maria José de Souza e Saint-Clair de Lima. É licenciada em Letras Clássicas pela USP (1961) e em Pedagogia pela Faculdade de Ciências e Letras Plínio do Amaral, São Paulo (1980), com habilitação em História da Educação, Administração Escolar e Supervisão de 1º e 2º graus e também em História da Educação, Didática, Estrutura e Funcionamento do Ensino de 1º e 2º Graus. Dedica-se ao magistério e à literatura desde a década de 60. Em 1963 foi aprovada em 1º lugar no Concurso de Seleção de Professores de Português do Colégio de Aplicação Prof. Fidelino de Figueiredo, da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo. Lecionou Português no curso Colegial das Escolas Padre Anchieta e Língua Portuguesa na Faculdade de Letras Padre Anchieta; foi assistente e instrutora contratada junto às cadeiras de Didática Geral e Especial e de Metodologia Geral do Ensino da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo e professora de Didática Especial de Línguas (Português e Latim) da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Mackenzie. Exerceu o cargo de assistente pedagógico no Ginásio Pluricurricular da EEPSG Dr. José Romeiro Pereira, onde prestou serviços durante dez anos como professora efetiva, concursada na disciplina de Português. Também foi professora titular de Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Técnicas de Redação da EEPSG Profª Ana Pinto Duarte Paes. Entre 1970 e 1979, foi monitora de cursos de treinamento e atualização do pessoal docente das escolas de 1º e 2º graus, sob supervisão do Departamento de Recursos Humanos da Secretaria de Estado dos Negócios da Educação. Também estudou Francês na Aliança Francesa; Alemão na Escola Fisk e no Curso Alles Gute; e Inglês no Senac. Foi diretora na E.E.P.G. Irmã Maria de São Luiz (Várzea Paulista-SP) e na E.E.P.S.G. Conde do Parnaíba (Jundiaí), cargo em que se aposentou. Sempre participou de atividades culturais em Jundiaí, proferindo palestras, integrando comissões julgadoras de concursos literários e de festivais estudantis de música e de teatro e também trabalhando na organização de eventos desse gênero. Colaborou na imprensa local, publicando artigos sobre escritores brasileiros e respondendo pela criação e coordenação da coluna JJ Estudantil, no Jornal de Jundiaí, de 1967 a 1970. Colaborou, também, na revista Littera, do Rio de Janeiro, nos anos de 1974 e 1976. Criou e coordenou os jornais Páginas Abertas (1983) e Letras & Letras (1984) nas Escolas e Faculdade de Letras Padre Anchieta. Participando de certames literários, recebeu diversas premiações, incluindo prêmios de edição no VIII e IX Concurso Literário Raimundo Correia de Poesia (Editora Shogun Arte, 1989 e 1990); Concurso Escritores/Escritoras de Ouro (Editora Litteris, Rio de Janeiro, 1991); Concursos Literatura de Vanguarda (1992), Contos e Poemas do Brasil (1993) e Nos Vôos da Imaginação (1994), todos da Editora Litteris. Sua produção literária aparece em mais de 100 antologias, destacando-se, entre elas: Momentos de Inspiração (1980), Caminhando Juntos (1981), Jundiaí Poética (1984), Cascata de Versos (Petrópolis-RJ, 1987); Coletânea Acadêmica da AFLAJ (todas as edições, desde 1984); Poetas Brasileiros de Hoje (Rio de Janeiro, 1989, 1990 e 1991), O Amor na Literatura (Rio de Janeiro, 1991), Akademus (AJL, 1992),  Letras Acadêmicas (AJL, 1993, 1994 e 1999); Oficina Cadernos de Poesia (Rio de Janeiro, 1992, 1993, 1995, 1996, 1997, 1998 e 1999); Grito, Logo Existo (São Paulo, 1992); Literatura de Vanguarda (Rio de Janeiro, 1992); Contos e Poemas do Brasil (Rio de Janeiro, 1993); Antologia Poética Nacional Scortecci (São Paulo, 1995 e 1996); Antologia de Contos e Crônicas Scortecci (1996, 1997 e 1998); Sonhos e Expectativas da Scortecci (1999), Antologia Del’Secchi (Rio de Janeiro, 1995, 1997 e 1999); Vassouras (1997); Antologia Internacional de Poesias – Movimento Poético em São Paulo (1996); Athena – Antologia de Poesia Contemporânea Multilíngue (Trento, Itália, 1996); Planetaria (Trento, Itália, 1997); Primeira Antologia de Poesia da Casa do Poeta (Rio de Janeiro, 1997); Argila (Petrópolis-RJ, 1998 e 1999). Ivanira Dadalt é citada na 2ª edição do Dicionário de Poetas Contemporâneos, organizado por Francisco Igreja (Rio de Janeiro, 1991), e no Dicionário Jundiaiense de Literatura, (Ed. Literarte, 1999). Faz parte da Academia Feminina de Letras e Artes de Jundiaí, ocupando a cadeira nº 21; é sócia-honorária da Academia Jundiaiense de Letras, membro-correspondente da Academia Petropolitana de Poesia Raul de Leoni e membro ad honorem do Centro Cultural, Literário e Artístico Gazeta de Filgueiras (Portugal). Entre outras distinções, por suas atividades literárias, recebeu da Academia Feminina de Letras e Artes de Jundiaí, diplomas de Honra ao Mérito nos anos de 1982 e 1985, Medalha de Honra ao Mérito Letras em 1986 e Medalha Destaque Literário do Ano  em 1997. Também recebeu Medalha de Honra ao Mérito da Litteris Editora, em 1992.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 24 de junho de ...
1905 Nascia em Jundiaí o ator Pompeu Perdiz.
1912 Nascia em Itatiba Luiz Latorre, empresário e ex-prefeito de Jundiaí.
1946 Entrava no ar a Rádio Difusora Jundiaiense.
1971 Nascia em Jundiaí a artista plástica Leila Alves Lopes.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO