COSTA, WALDOMIRO LOBO DA

(Campinas, 23/4/1894 +São Paulo) – Veio para Jundiaí, trazido pela família, com dois anos de idade. Fez seus estudos preliminares no Grupo Escolar Conde do Parnaíba e, em 1917, bacharelou-se em Direito pela Faculdade do Largo de São Francisco, recebendo, na ocasião, o Prêmio Rodrigues Alves, pelas excelentes notas obtidas ao longo do curso. Dono de vastíssima cultura – era considerado “o Ruy de Jundiaí” –, colaborou na imprensa local durante anos seguidos, ora escrevendo crônicas, ora poesias, ora artigos versando a política e outros assuntos de interesse da comunidade. Foi presidente do Gabinete de Leitura Ruy Barbosa, tendo, em sua gestão, construído a sede própria da entidade. Em 1927 assumiu o cargo de prefeito, como vice do Dr. Olavo Guimarães, que nesse ano foi eleito deputado à Assembleia Legislativa. Permaneceu no posto de 15/6/1927 a 24/10/1930, quando foi deposto pela Revolução liderada por Getúlio Vargas. Durante sua gestão, investiu na captação e ampliação da rede de abastecimento d’água, no calçamento das ruas e na remodelação dos largos da Matriz, de São Bento e da Santa Cruz. Depois que deixou a Prefeitura, Waldomiro mudou-se para São Paulo, onde exerceu a advocacia, até ser nomeado ministro do Tribunal Militar do Estado. Em diversas oportunidades, proferiu palestras e conferências no Gabinete de Leitura Ruy Barbosa, havendo feito uma série delas em 1958, por ocasião do 50º aniversário da Escola Industrial. Toda a sua rica coleção de livros, ele fez questão de deixar à Biblioteca Pública Municipal de Jundiaí. Segue-se um de seus poemas, publicado na imprensa local:

Jundiaí

E quando abri a janela, e respirei

Este ar que meu pulmão já reconhece

Disse comigo: – Graças que sarei!

Agora é Jundiaí que me aparece,

Que boceja, abre os braços, que estremece

Dando a impressão de que eu a despertei.

Manhã de Jundiaí, que não se esquece,

Evocativos ares do que amei…

Como estás diferente, minha terra!

Mas, eu te conheço pela serra

Que emoldura a colina em que te espraias.

Pelas torres da Igreja. Pela brisa.

Por este vento que por mim desliza

E pelo pôr-do-sol em que desmaias.

Enamorado de sua terra natal, cultor

Do seu passado histórico e longínquo e das

Belas conquistas do seu presente, o poeta

Lembra a figura de um nosso santo monge

e escreve.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 14 de junho de ...
1898 Falecia em Jundiaí, aos 56 anos, Antonio Damásio Santos, o primeiro jundiaiense nato a administrar a cidade com o título de intendente.
1912 Nascia em Jundiaí o pintor Arthêmio Matiazzo.
1924 Nascia em Milão, Itália, o fotógrafo Lívio Tagliacarne.
1928 Nascia no Rio de Janeiro a poetisa Hilda Santos da Silva.
1936 Nascia em Jundiaí o professor e engenheiro naval Dayr Schiozer.
1965 Nascia em Jundiaí a pintora Isabel Cristina Baptistella Araújo.
1986 Falecia em Jundiaí, aos 94 anos, a professora e poetisa Maria de Toledo Pontes.
2003 Falecia em Jundiaí, aos 73 anos, o artista plástico Issis Martins Roda.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO