CARNEOSSO, VANDERLEY ANTONIO

(Jundiaí) – Autor, ator e diretor teatral. Dedica-se também à pintura. Ligado à astronomia, à astrologia e aos estudos esotéricos desde a adolescência, passou a criar, dirigir e interpretar textos fundados na filosofia oriental, tanto na área do teatro como na dança. Em 1993, participou da I Mostra de Teatro de Jundiaí, apresentando na Sala Glória Rocha, a performance Cerimonial Gaia: Mãe Terra. Em 1995, criou o grupo teatral Shangri-lá, cuja primeira peça, No Vale da Coisa Engraçada venceu vários festivais e foi escolhida para representar Jundiaí no Mapa Cultural Paulista e ganhou novas montagens em 2002 e 2004, através da Shakti Produções Teatrais (outra companhia criada pelo diretor), sendo levada repetidas vezes na Sala Glória Rocha e no Cine Teatro Polytheama. Também as pinturas de Vanderley têm forte influência do esoterismo, ao qual se dedica ativamente, dirigindo cerimônias e palestras. Além de pinturas em óleo sobre tela, confecciona miniaturas artesanais para jogos de guerra. Participou de várias exposições, entre elas, coletiva no Senac e na Semana Cultural da A.A.P.J. (Centro das Artes) – ambas em 1993 – e de mostras do Centro Cultural Tao Sigulda, em Campo Limpo Paulista. Fundou e presidiu, em 1976, o Grupo de Estudos Científicos E.G.E.H.U. – Estudos dos Grandes Enigmas do Homem e do Universo; foi pesquisador oficial da Equipe do Museu Particular de Jundiaí Francisco de Matheo, em 1983; ministrou cursos de Cosmogênese no Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento em 1992 e 1993; foi instrutor de Filosofia Indiana, Tântrica e Astronomia amadora na Shangri-lá – Núcleo de Terapia Holística, em 1996. É autor de livros como Mensageiro do Infinito (astronomia planetária – 1980) e Livra-me. Escreveu as seguintes peças teatrais: No Vale da Coisa Engraçada (1996); Uma Empresa de Futuro (1996); Mãe Terra (versão de 1997 e 1998); Luz, Mente Universal (1998); Os Ets e a Porca (1999); Spectrus, O Mundo das Sombras (1999); Cantinho da Água (2000); Dança dos Espelhos (segunda versão em 2001); As Feiticeiras (drama histórico; 2001); A Última Batalha (coreografia teatral – 2001) e Memórias de Emília (adaptação da obra de Monteiro Lobato – infantil apresentada em 2001). Recebeu 13 prêmios de teatro amador: três como autor, três como diretor, dois como figurinista (entre os anos de 1995 a 2000) e cinco como sonoplasta. Foi instrutor de Artes Cênicas na Escola Técnica Estadual Arqº Vasco Antonio Venchiarutti de 1996 a 2000; instrutor convidado a ministrar aulas de teatro na Escola Estadual  Professora Joceny Vilella Curado, em 2000 e 2001. Realizou curso de Produções e direção cinematográfica com Tizuca Yamazaki. É professor de Teatro da Academia Harmonia Corpo e Arte. Vanderley é também técnico em contabilidade e terapeuta Samkhira Sparsha. Sua obra no campo artístico é mencionada no Anuário Jundiaiense de Artes Plásticas, edições de 1997 e 1998, e no Dicionário Jundiaiense de Artes Cênicas (Ed. Literarte, 1999).

Cena da peça “Luz Universal”, dirigida por Vanderley Carneosso.

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 13 de abril de ...
1930 Nascia em Jundiaí o ator Olivo Tubini.
1933 Nascia em Jundiaí a escritora e farmacêutica Aída Radanovic.
1951 Nascia em Jundiaí o pintor Apolônio Camacho Bizerra.
1960 Nascia em Jundiaí o pintor Paulo Roberto Luchetti.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO