BERVERT, GENTIL

(Jundiaí, 17/7/1918) – Ator e comediante. Iniciou-se em festas juninas na década de 40, participando dos tradicionais casamentos caipiras. Em suas primeiras aparições, fazia o papel do noivo, mas logo surgiu o personagem Zé Lacraia, que Gentil interpretaria regularmente ao longo de sua carreira. Em 1952, a convite de João Pupo, apresentou-se em Franco da Rocha-SP, onde foi notado por Mercedes Vaccari, ligada ao Grupo Guarany de Comédias, então mantido pelas Indústrias Andrade Latorre. Passando a integrar este grupo, tomou parte em diversas montagens, tais como: Auto da Compadecida, Não Te Conto Nada, Arsênico e Alfazema e outras. Nos intervalos das peças para as quais não era escalado, Gentil entretinha o público, na legítima tradição de improviso humorístico. A respeito de sua atuação no Guarany, escreveram os jornais da época: “O popular Titi esteve maravilhoso em suas ‘tiradas’ cômicas, sabendo viver seu papel com rara habilidade desde o instante primeiro de sua presença no palco, dentro da comédia, tendo criado grandes lances de hilaridade como ‘caipira.’” (A Folha, 29/04/1956); “O popular Titi foi de uma ‘verve’ admirável, fazendo gargalhar toda a casa, com suas piadas ditas do palco, em que ninguém esteve sisudo, mesmo que o quisesse.” (A Folha, em 28/7/1956). Sobre o desempenho em Arsênico e Alfazema: “O talento do sr. Gentil Bervert é de conhecimento público, sendo que nessa peça ele se ultrapassou interpretando Teddy, o maluco que se dizia presidente Roosevelt.” (O Jundiaiense, 11/04/1962). Paralelamente ao trabalho no Grupo Guarany, em 1957, Gentil participou do filme A Lei dos Fortes, comédia totalmente rodada em Jundiaí, com direção de Moacyr de Almeida Ramos e Júlio M. Robacio, produção da Cruzeiro Filmes do Brasil. A fita estreou no Cine Theatro Polytheama, em 1960. Com a dissolução do Grupo Guarany (1972), Gentil passou para o Teatro Amador do Sesi (TAS) e apresentou-se em várias cidades paulistas, com a peça O Santo Milagroso, de Lauro César Muniz. Depois do desaparecimento do TAS, passou a fazer parte do grupo Teatro de Veteranos de Jundiaí, atuando nas peças Arsênico e Alfazema, no papel de Teddy (Sala Glória Rocha, 1991); em Um Rapaz Feio, como Menezes (1994). Em 1996, voltou a interpretar Teddy em Sonhando com a Ribalta, uma paródia de Arsênico e Alfazema, escrita por Geraldo Tomanik. Em 1992, gravou um comercial da Kaiser, para a TV, e por ocasião da comemoração ao Dia Internacional do Teatro e do Circo, apresentou-se como Zé Lacraia nos intervalos das peças encenadas na Sala Glória Rocha. Gentil foi integrante da Sociedade Folclórica de Jundiaí e da Comissão de Teatro e Cinema, da Coordenadoria Municipal de Cultura e Turismo.

1º/7/1967 –Gentil Bervert interpreta Zé Lacraia (Juiz de Paz), em casamento caipira. 

Encontrou algum erro?

Envie uma correção

EFEMÉRIDES
Em 14 de junho de ...
1898 Falecia em Jundiaí, aos 56 anos, Antonio Damásio Santos, o primeiro jundiaiense nato a administrar a cidade com o título de intendente.
1912 Nascia em Jundiaí o pintor Arthêmio Matiazzo.
1924 Nascia em Milão, Itália, o fotógrafo Lívio Tagliacarne.
1928 Nascia no Rio de Janeiro a poetisa Hilda Santos da Silva.
1936 Nascia em Jundiaí o professor e engenheiro naval Dayr Schiozer.
1965 Nascia em Jundiaí a pintora Isabel Cristina Baptistella Araújo.
1986 Falecia em Jundiaí, aos 94 anos, a professora e poetisa Maria de Toledo Pontes.
2003 Falecia em Jundiaí, aos 73 anos, o artista plástico Issis Martins Roda.

Saiba mais sobre estes e outros personagens, instituições e fatos ligados às Artes, à Cultura e à História de Jundiaí navegando pela nossa Enciclopédia Digital.

Acompanhe nossas Redes sociais
Parceiros

Copyright © 2021 Jundipedia. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por PROJECTO